Thursday, April 17, 2014

Gisele Bünchen assume presidência da Petrobras

by Pedro Tolentino

Celebrity CEO
BRASÍLIA - DF (BP) - Foi um golpe de mestre: a indicação da super modelo Gisele Bünchen à presidência da Petrobrás, anunciada ontem pela presidente Dilma Rousseff, funcionou como uma plástica do Pitanguy, proporcionando um salto quântico na imagem da empresa, que andava um tanto ou quanto manchada pelas recentes denúncias de irregularidades nas operações da estatal.

Não que a ex-presitente da petroleira, Graça Foster, fosse apenas mais um rostinho bonito no mundo dos hidrocarbonetos.  Ela era, sem dúvida, uma executiva da mais alta competência.  Mas a Gisele, ahhh...  A Dilma é mesmo um gênio!

 Durante pronunciamento oficial a presidente Dilma falou que o conceito de "Celebrity-CEO" ainda é novo, nasceu inspirado nos modelos americanos de "Celebrity-Governor" e "Celebrity-President", protagonizados por Arnold Schwazenegger e Ronald Reagan, respectivamente.



Tornar uma celebridade simplesmente o garoto propaganda de uma empresa é pouco, disse Dilma, é preciso mostrar que a celebridade tem responsabilidade sobre os resultados, que tem poder de decisão sobre os rumos da empresa cuja imagem com ele(a) se confunde.

Em sua posse, Gisele se mostrou muito feliz com a oportunidade e disse:  Será muito gratificante, quando eu posar para fotos sobre uma plataforma da Petrobrás vestindo um macacão laranja sujo de óleo, saber que o meu papel na empresa não é só aquele, lembrarei do meu trabalho no último trimestre e terei certeza de que fiz tudo o que estava ao meu alcance para maximizar o retorno ao acionista.

A nova presidente da estatal não perdeu tempo, em seu primeiro dia no cargo Bünchen foi à Brasília prestar esclarecimentos no senado sobre as denúncias de má gestão envolvendo a compra da refinaria de Pasadena, nos EUA, quando a petroleira acabou pagando mais do dobro do valor da empresa adquirida.

Como era inevitável, do meio pro fim a sessão virou pura tietagem, com senadores fazendo fila para tirar uma foto ao lado da “Supermodel-CEO”.  Até os senadores da oposição, que até ontem queriam ver sangue derramar na estatal e eram defensores ferrenhos de uma CPI, entraram na onda.  O líder dos democratas no senado, Senador José Agripino (RN), não resistiu à tentação e mandou essa já perto do final da sessão:  Presidente Gisele, que tal a senhora dar uma “Pasadena” lá em casa mais tarde, onde a gente poderia conversar mais à vontade?

Sim, a pergunta teve direito a “aspas com os dedos”.




curta o post
curta o blog